Consciência Ecológica

Acreditamos que mesmo as empresas que trabalham no ciberespaço podem fazê-lo de uma forma sustentável.

Somos o primeiro serviço de registo Europeu de TLD a ser registado pelo Sistema Comunitário de Ecogestão e Auditoria (EMAS).

Ações ambientais

Temos tido uma abordagem ambientalmente responsável para a gestão por muitos anos.

O registo do EMAS formaliza as nossas atividades contínuas e demonstra o nosso empenho público em melhorar ainda mais a nossa marca ambiental. Estas atividades incluem mas não estão limitadas a:

  • Eficiência dos Recursos: Reduzindo o impacto ambiental dos transportes através da implementação de um plano para a introdução de carros corporativos mais verdes é apenas, uma das formas com que tencionamos reduzir as emissões.
  • Envolvimento da Empresa: Acreditamos na promoção interna do seu programa de sustentabilidade para os funcionários de modo a aumentar a participação dos seus colaboradores em atividades e projetos ambientais.
  • Eventos responsáveis: Quando organizamos conferências e eventos para os registrars acreditados ou participamos em exposições do sector e reuniões, aplicamos critérios ambientais a partir do guia de reuniões United Nations Environment Programme (UNEP) para garantir que estes eventos e viagens associadas, sejam o mais ambientais possível.

Política e objetivos

O EMAS e ISO 14001 Environmental Statement 2018-2020 (PDF) definem a política ambiental da EURid, objetivos e o programa de atividades para os próximos três anos.

Acerca do EMAS

O EU Eco-Management and Audit Scheme (EMAS) é uma ferramenta de gestão voluntária para as empresas e outras organizações poderem avaliar, reportar e melhorar o seu desempenho ambiental. Este sistema ajuda as empresas a otimizarem os respetivos processos de produção, a reduzirem os impactos ambientais e a utilizarem os recursos de forma mais eficiente.

A EURid obteve o registo no EMAS em Maio de 2012 e, desde então, renovou o seu registo EMAS para o período 2015-2017. O nosso número de registo é o BE-VL-000016.

Compensação CO2

Em 2014 avaliámos as nossas emissões de CO2 de 2013 e adquirimos créditos de CO2 para a construção de turbinas eólicas e para a produção de biodiesel a partir de sementes de pinhão-manso em Gujarat, na India.

Em Abril de 2015, a EURid juntou forças com as FAPAS, as organizações ambientas espanholas sem fins lucrativos, mais uma vez, com o objetivo de limitar as emissões de CO2 da EURid. Um número de árvores de fruto foi plantado nas Astúrias, Espanha, numa zona povoada por o urso pardo Europeu ameaçado de extinção. O programa '+ BEARS -CO2' não só permitiu o registo para contribuir ainda mais para a sua meta de responsabilidade ambiental, mas também apoiou e contribuiu para o aumento da diversidade do ecossistema na região.

Em 2015 avaliámos as nossas emissões de CO2 de 2014 e adquirimos créditos de CO2 para contribuir com o projeto Ecomapuà que entre outras coisas tem o objetivo de conservar a rica biodiversidade da Amazónia.

Em 2016, avaliámos as nossas emissões de CO2 de 2015 e comprámos créditos de CO2 verificados para contribuir com o projeto Hidroelétrico Dak Rung no Vietnam. Este projeto de energia renovável foi baseado na construção de uma central hidroelétrica de 8MW no ribeiro Dak Rung para a geração de eletricidade renovável para a população local e a rede elétrica do Vietnam, reduzir as emissões de gases de efeito estufa na região e apoiar o desenvolvimento da comunidade local.

Para compensar as emissões de CO2 geradas em 2016, a EURid adquiriu créditos certificados para apoiar o projeto de Reabilitação de Borehole do Uganda. O objetivo do projeto de Reabilitação de Borehole é melhorar esta situação trabalhando com comunidades do Uganda para reparar furos e restaurar o acesso a água limpa e segura. Os benefícios diretos do projeto são que as famílias não precisam mais de percorrer grandes distâncias para chegar à água ou ferver a água para erradicar contaminantes, economizando lenha e, portanto, evitando que as emissões de carbono sejam liberadas para a atmosfera.

Em 2018, avaliámos as nossas emissões de CO2 de 2017 e prorrogámos o nosso apoio ao Projeto de Reabilitação de Poços do Uganda. Desta vez, o nosso foco recaiu sobre os distritos de Dokolo, Otuke e Alebtong do Uganda. À semelhança de 2017, o objetivo do Projeto de Reabilitação de Poços é trabalhar em conjunto com as comunidades do Uganda para reparar poços danificados e consequentemente restaurar o acesso a água potável limpa e segura.

Em 2019, avaliámos as nossas emissões de CO2 de 2018 e apoiámos os esforços de reflorestação em Monchique, uma área profundamente afetada por devastadores incêndios florestais no verão de 2018.